terça-feira, 6 de março de 2012

Divagações

Tenho evitado falar dos meus sentimentos sobre o David, porque tenho medo de vir a parecer mal ageradecida,ingrata... o B, é minha vida, sem dúvida, mas a minha alma ainda está muito dorida com a partida do meu filhote e ando a algum tempo com o coração mais apertado do que é costume...estou com muitas saudades dele, de como seria, de como cheiraria...de TUDO!

Olho para as fotos...e sinto tantas saudades, tanta felicidade, tanto sofrimento...é uma mistura que não sei explicar...consigo sentir os cheiros dessa altura, e eram tão bons!!! nunca mais consegui sentir os aromas com tal magnitude, coisas das homonas, suponho....

Fecho os olhos e parece que consigo senti-lo, aqui, dentro de mim, a fazer acrobacia dentro da minha barriga, fecho mais um bocadinho os olhos...e sinto-me novamente a flutuar na inmensidão de felicidade que é carregar um filho no ventre...mantenho os olhos fechados e vivo dias de felicidade, a mão do pai a fazer festas na barriga, o contar das semanas, passar a barreira das 30...chegar as 36..e...depois...depois abro rapidamente os olhos e obrigo-me a pensar em outra coisa..a mente voa..divaga e deixo de me sentir..e vivo só com a dor da perda...e agradeço mais uma vez ao universo, a Deus, pelo meu B, pelo meu lindo e amado filho...mas o meu coração continua dorido, magoado, cheio de saudade....

Definitivamente, ainda não sei viver sem ti.....




9 comentários:

Luna disse...

Celia é normal que sintas isso, sabes filho nunca se esquece, fica sempre um vazio, tudo está muito recente, tens fazer teu luto na altura que tiveres preparada para isso.
Agora tens o B. claro ele nunca substitui o David, longe disso,cada filho é único, importante não guardes sentimentos, deita td cá para fora. Força Celia, agarra-te ao B. ele é toda a força que precisas para suportar os momentos menos bons.
bjinhos ++++

Sil - 29 anos disse...

Oi Célia, é natural esses sentimentos, eu ainda sinto meus bebês mexerem dentro de mim, as vezes é tão real que chego a pensar se não estou ficando louca. Não sei se um dia tudo isso vai passar, na verdade eu não quero que passe, foram momentos de muita alegria, os mais felizes da minha vida. Força e fé Célia, assim a gente vai vivendo, lutando pelos nossos sonhos e amando pessoas que são importantes pra nós.
Bjss..

liliana disse...

Célia.....
deves falar sempre dos teus sentimentos. aposto que ninguém pensará em ingratidão.... nós não fazemos a minima ideia do que é perder um filho logo não sabemos o que é sofrer o que sofres.
beijinho grande........

Escolhendo o sexo do meu bebe. disse...

Oi mamae , essa saudade é inevitavel e vai te acompanhar pelo resto da sua vida, com o tempo ela vai se amenizar, mas nunca vai te abandonar, e isso é um ciclo natural da vida, é um filho e se pudessemos escolher um filho nunca partiria antes de seus pais né?
Procure ficar bem, e logo logo encontraras motivos para se tornar mais forte quanto a esse assunto!!!
bjkas e lhe desejo muita Paz!!!

Xanica disse...

Amiga, nunca vais conseguir viver sem o teu grande amor que é o David, é tão normal e fala, diz tudo o que sentes, é tão bom!!!
Beijinhos grandes, adoro-te.

Isa disse...

Olá minha querida, ainda não tinha visto este teu post.
Fala sempre que precisares do teu David!! E fala muito! Assim consegues tê-lo bem pertinho de ti e senti-lo no meio de nós! A recordação dele é a sua presença, por isso fala muito e ele viverá sempre bem juntinho a ti!
Um irmão não substitui outro, por isso as saudades vão ser sempre muitas... Mas o facto de já conseguires recordá-lo com felicidade só prova que estás a conseguir superar a sua perda, por muito que a dor ainda seja grande.
A dor não desaparece, apenas aprendemos a viver com ela!
Beijo enorme e um abraço muito apertado!

Isa disse...

Ps.: Estavas linda!!! Ainda te vou tornar a ver com uma barriguita dessas!!
Beijo

Duchess disse...

Passei aqui por acaso...ou não.
E logo no dia a seguir a ter lido o texto da Sónia Morais Santos sobre a perda gestacional.

deixo-te um abraço muito sentido.

Martense disse...

Eu acho normalíssimo. Hoje com o meu piolhito nos meus braços sou muito feliz. Mas muitas são as vezes que a olhar para o meu filho as lágrimas me escorrem a pensar no meu primeiro filho. Nunca esqueceremos. Um filho nunca substituirá outr filho tão desejado. Fala, escreve, isso sim ajuda a aliviar a dor da saudade. Um abraço apertadinho. bjs