quinta-feira, 12 de novembro de 2015


Três anos já passaram, muita coisa mudou, umas para melhor, outras nem por isso. Foram tempos de acrobacia, tentar encontrar o equilíbrio necessário nem sempre é fácil, e colocar todas as teorias em prática muito menos.

Sonhos e ilusões de que quem percebera sempre alcança caíram por terra, nem toda a gente que é boa tem um final feliz (assim como nem todos os maus tem o que merecem) e é difícil entender o porquê.

Depois temos de interiorizar, de dar valor as coisas boas que temos, de aprender a respirar, mudar objetivos, melhor, encontrar novos objetivos é fundamental, mas velhos hábitos são muito difíceis de mudar, estão cravados na pele, e nem sempre os conseguimos apagar, mas tentamos, porque a vida é mesmo assim, de os contornar.

Ainda estou em processo de adaptação, de interiorização, ainda é tudo muito abstrato, quase impossível, sempre achei que desistir seria muito mais difícil do que continuar a tentar, mas nem sempre somos nos que temos o poder de escolha, por isso a vida "facilitou" as coisas e escolheu por mim. Agora eu tento dançar a chuva e ser feliz, aproveitar cada minuto, segundo, dia, mês, ano, com as pessoas que tanto gosto de ter por perto, dos amigos que são família, e da família que é a minha melhor amiga...valorizar (ainda mais) aquilo que tenho…

Não sei se voltarei a este meu diário, meu cantinho, tantos sonhos e tristezas aqui depositados, tanta luta, tanto amor, uma vida cheia de emoções, nem sempre das melhores...

Tanta coisa mudou... Eu mudei, não sou de ferro, mas uma coisa continua igual, o amor desmedido que tenho pelos meus filhos!